domingo, 28 de agosto de 2016

Artigo Wagner Baldez - AS DESRESPEITOSAS PIADAS PRODUZIDAS PELO SENADOR SARNEY



Por Wagner Baldez (*)


Chorei - como deve ter acontecido com a boa parte dos maranhenses – ao ler no Imparcial a transcrição da entrevista dada pelo Senador Sarney ao programa Avesso, da TV Guará, em que declara que o seu coração sangrou por não ter sido candidato ao Senado pelo seu estado natal, como seria do seu mais veemente desejo.

E quanto esforço empreguei tentando conter tamanha emoção!

De repente a cena se modifica, no momento em que, ao continuar a leitura, fui surpreendido pelas hilariantes palavras do parlamentar, revelando que “esteve a beira de se filiar ao Partido Comunista”. Pilhéria esta capaz de provocar risos num, sapo, ainda que imobilizado pelas presas de uma voraz cascavel!

Logo citado personagem que em toda sua vida pública acostumou-se a render homenagem ou gravitar na órbita dos poderosos. Convidá-lo a fazer oposição à referida classe sempre casou-lhe alergia até no céu da boca!!!

O riso continua, após acrescentar “possuir absoluta incapacidade de ter ódio”.  Forma esta usada para esconder mais um de seus graves e mórbidos defeitos. Basta citarmos algumas de suas inúmeras vítimas, como foi o caso do “General” Bastinho, Laura Meireles, Delegado Hilmar Raposo. Quanto ao seu “inconformismo a respeito da pobreza em que vivia o Maranhão” e haver “liderado a sua geração a se opor à mencionada situação”, não passa de uma de suas idiotices ou alardeado cabotinismo, materializado no seu imaginário; pois nunca assumiu, tampouco demonstrou quaisquer o ato de natureza cívica que requeresse coragem. Pelo contrário, sempre manteve-se na retaguarda!...

Se vivo fosse, o que não diria o combativo e inesquecível professor Nascimento Moraes Filho, seu colega dos tempos de Liceu. Este sim, mereceu ser considerado autêntico líder de sua geração e das demais que se seguiram, por nunca tergiversar em relação à sua ideologia. Diferente, pois, do paradoxal JOSÉ DE RIBAMAR FERREIRA ARAÚJO COSTA.

A partir daí, as risadas cederam lugar a um surto de gargalhadas, já que a pilhéria contida na última parte do texto obedece mais a um ritmo ou caráter de deboche ou cinismo do que propriamente profano, devido a forma como o senador trata o assunto religioso: “Cada um de nós nasce com um destino. Comigo, foi Deus que pôs a mão na minha cabeça e me entregou algumas estrelas (coisa de visionário), recomendando-me, olha Zé, trata bem delas (isto com absoluta intimidade coloquial, como sendo o Moisés dos tempos modernos)”.

Certamente, “o privilegiado ou filho eleito de Deus”, achou por bem não revelar a promessa confidenciada pelo Senhor, de lhe canonizar, reservando-a para às vésperas das eleições, o que lhe garantiria os votos dos incautos e alienados.

Diz Deus:

- Entretanto, meu filho Zé, apesar do poder que detenho, mas por uma questão de ponderação, cabe-me o dever de escutar os demais hóspedes, principalmente seus conterrâneos, os quais vêm demonstrando completa insatisfação ao tomar conhecimento desta minha intenção. O primeiro a me procurar foi o ex-padre Antônio Vieira, acusando-lhe de ter se apoderado do Convento das Mercedes, considerado pelo Papa um Templo Sagrado. Logo após, o Jackson Lago se apresenta, dizendo-se vítima de suas pérfidas ações, já que perdera o mandato de governador por intervenção sua. Até o Tancredo Neves acusa-lhe como sendo o principal responsável pelo trágico fim, este causado não por uma DIVERTICULITE, mas, estranhamente, por uma doença denominada SARNICULITE (desconhecida pela medicina), manifestada através de um trabalho macabro orientado por um tal de BITA DO BARÃO e do mais poderoso de todos os ORIXÁS, denominado KARUMBATÊ, ambos seus protetores espirituais. Já MILLET defende a santificação do LA ROCQUE em vez do SARNEY. Até do PURGATÓRIO acabo de receber uma urgente mensagem do VITORINO FREIRE: “Senhor, esse sujeito não merece a mínima confiança, sempre manteve o comportamento dúbio, já que acende uma vela pra DEUS outra pro DIABO!”!

Expressão que sempre usou em vida.

No exato momento em que o Senhor esboçou um gesto de se recolher, para cumprir os exercícios espirituais, eis que, numa carreira infrene, surge o FERRO COSTA E JOSÉ APARECIDO, e ajoelhando-se aos pés do Divino Mestre, sentenciam: “Esse individuo que vossa Santidade nutre o desejo de fazê-lo um de seus discípulos, não é merecedor da tão honrosa distinção, pois não passa de um miserável traidor”!...



Bem, disse o Arquiteto do Universo ao descartado senador: “Em vista do atual impasse, tomarei as providências que o caso requer; entregando à Colenda Corte Celestial, a fim de que emita seu parecer. Impacientes, gritavam, em coro, os seus mais ferrenhos detratores: inferno com ele! Calma, pessoal, que estou tentando resolver um outro problema que requer bastante sabedoria e prudência, já que Belzebu se opõe a aceitá-lo em seus domínios. Nisto, aduziu um dos presentes: chame o Arquimedes para lhe ajudar nessa questão. Tão logo o físico e matemático grego postou-se diante do Onipotente e já sabendo do que se tratava, gritou: eureka! É só arremessar esse peso (que, segundo o sábio grego, é de 10t de safadeza na carcaça) para o purgatório que o Vitorino Freire dará cabo dele. Apoiado! Apoiado!.. Gritava a turba à guisa de refrão.



(*) Wagner Baldez - Servidor Público Aposentado, membro do Comitê de Defesa da Ilha, um dos fundadores do Instituto Maria Aragão. Integra a Executiva Estadual do PSOL/MA